O Estado de Pernambuco fechou o mês de outubro com 451 homicídios registrados, o pior resultado para um mês desde o lançamento do Pacto pela Vida, em 2007. O resultado do mês passado, segundo dados da própria Secretaria de Defesa Social, eleva para 3.600 o número de assassinatos acumulados no ano, sinalizando para o crescimento no número de crimes violentos letais intencionais pelo terceiro ano consecutivo.

“Nos últimos três anos, regredimos quase uma década no combate à criminalidade. O Pacto pela Vida entrou em colapso e a Secretaria de Defesa Social e o Governo do Estado não conseguem mais dar respostas à demanda por segurança da sociedade pernambucana”, avaliou o deputado Silvio Costa Filho (PRB), líder da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

Os números da violência assustam, sobretudo, quando se observam os dados do Anuário da Segurança Pública do Brasil de 2016, que indica Pernambuco como um dos únicos Estados do Nordeste a apresentar crescimento no número de homicídios no ano passado, apesar de o Governo do Estado frequentemente afirmar que os números desfavoráveis da segurança em Pernambuco são fruto de uma conjuntura nacional de crise econômica e crescimento indiscriminado da violência.

“Os Estados do Ceará e de Alagoas estão comemorando a redução dos índices de violência em 2016, enquanto nós estamos assistindo todas as conquistas e o legado de quase dez anos de Pacto pela Vida ficando para trás”, lamentou o parlamentar, se referindo a redução de 15% no número de homicídios no Ceará e à queda, pelo segundo ano consecutivo, do número de homicídios em Alagoas.

Diante do grave quadro de crescimento da violência, a Bancada de Oposição conseguiu apresentar, na última terça-feira (8), um pedido para realização de audiência pública para discutir o aumento da criminalidade e os rumos do programa estadual de combate ao crime. A audiência será realizada pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, em data ainda a ser marcada.

Presidente da Comissão de Cidadania, o deputado Edilson Silva (Psol) destacou que a violência no Estado, além dos homicídios, cresce também em outras áreas, como nos crimes contra o patrimônio e investidas contra bancos. “Não há estado em situação tão grave de crescimento generalizado da criminalidade como Pernambuco. A redução de apreensão de armas em 24%, enquanto estados como Alagoas e Ceará aumentaram as apreensões em 40% e 70%, ajuda a entender porque temos resultados diferentes.”

Vice-líder da Oposição, Joel da Harpa (PTN), reforçou a necessidade de diálogo com os agentes de segurança. “O profissional de segurança está na linha de frente dessa guerra e termina sendo a primeira vítima desse processo, seja morrendo em combate, cometendo suicídio ou apresentando problemas psicológicos graves”, ressaltou.
Segundo o deputado Júlio Cavalcanti, líder do PTB na Alepe, além do clima de insegurança, a violência tem efeitos graves para a economia do Estado. “Com as explosões e ataques a bancos, que acontecem quase todos os dias, estamos vivendo um momento de fechamento de agências no Interior que só vimos no auge da crise do Bandepe e quando o banco foi vendido. Hoje, tem aposentado que precisa se deslocar mais de 80 quilômetros para receber seu provento”, destacou.

Silvio Costa Filho reforçou ainda a decisão da Bancada de Oposição de procurar o Tribunal de Justiça de Pernambuco, o Ministério Público do Estado, a Ordem dos Advogados do Brasil e o Ministério da Defesa para discutir a contribuição de cada um no combate à criminalidade. “Precisamos envolver toda a sociedade num amplo debate sobre a criminalidade em nosso Estado, assim como representantes dos agentes de segurança e de toda a sociedade civil. É preciso relançar as bases do Pacto pela Vida e a Bancada de Oposição está à disposição da população do Estado para ajudar a tirar o Pernambuco desse impasse”, afirmou.

HOMICÍDIOS EM PERNAMBUCO (2007-2016)

ANO JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Subtotal TOTAL
2016 354 307 395 352 319 332 347 362 381 451     3.600 3.600
2015 323 325 336 324 313 265 301 328 292 381 357 346 3.188 3.891
2014 256 261 311 296 321 308 257 250 255 285 319 314 2.800 3.433
2013 272 280 286 245 272 247 232 241 246 248 271 290 2.569 3.130
2012 287 288 291 278 290 267 222 263 304 263 252 315 2.753 3.320
2011 316 307 333 344 290 285 291 272 226 282 290 270 2.946 3.506
2010 327 313 319 316 306 286 272 278 251 290 246 304 2.958 3.508
2009 380 357 372 355 353 304 336 309 273 333 281 365 3.372 4.018
2008 382 381 394 396 359 373 344 399 367 393 350 390 3.788 4.528
2007 459 409 426 390 378 362 348 374 324 372 340 410 3.842 4.592
DIF. 2016-2015 31 -18 59 28 6 67 46 34 89 70     412 -291
PERCENTUAL (%) 9,6% -5,5% 17,6% 8,6% 1,9% 25,3% 15,3% 10,4% 30,5% 18,4%     12,9% -7,5%

Comparação Janeiro – Outubro – Pernambuco
Jan-Out/2013   Jan-Out/2016       Diferença 16/13         Percentual
2.569   3.600       1031             40%

HOMICÍDIOS NO RECIFE (2013-2016)

ANO JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Subtotal TOTAL
2016 57 55 52 46 46 53 59 71 51 69     559 559
2015 53 53 47 45 42 36 43 53 44 50 54 53 466 573
2014 39 42 45 48 56 42 34 36 41 38 49 43 421 513
2013 41 43 43 37 46 38 30 28 36 39 45 26 381 452
2012 41 57 59 50 49 56 50 53 64 41 36 41 520 597
2011 67 64 62 68 52 55 47 59 29 62 65 62 565 692
2010 60 53 59 52 61 61 57 47 60 67 38 65 577 680
2009 85 76 79 76 72 49 70 60 46 77 50 78 690 818
2008 90 98 81 76 71 78 91 86 86 94 53 75 851 979
2007 103 91 77 88 100 95 68 92 70 89 90 81 873 1044
DIF. 2016-2015 4 2 5 1 4 17 16 18 7 19     93 -14
PERCENTUAL (%) 7,5% 3,8% 10,6% 2,2% 9,5% 47,2% 37,2% 34,0% 15,9% 38,0%     20,0% -2,4%

Comparação Janeiro – Outubro – Recife
Jan-Out/2013   Jan-Out/2016   Diferença 16/13         Percentual
381   559       178             47%
* Fonte: SDS-PE

* Fonte: SDS-PE

* Fonte: Anuário da Violência 2016/Fórum Brasileiro de Segurança Pública

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here